sábado, 19 de maio de 2018

O que se sabe até agora sobre acidente de avião em Cuba, que matou ao menos 100

Destroços do avião em CubaDireito de imagemAFP
Image captionA avião caiu próximo ao aeroporto de Havana, capital de Cuba
Mais de cem pessoas morreram após um Boeing 737 cair e explodir pouco depois de decolar do Aeroporto Internacional José Martí, em Havana, capital de Cuba, às 12h08 do horário local (13h08 do horário de Brasília), segundo a mídia estatal do país.
De acordo com a emissora estatal de Cuba, tratava-se de um voo doméstico para Holguín, no leste da ilha. Havia 104 passageiros e 9 membros da tripulação a bordo.
Até o momento foi noticiado que três sobreviventes estariam em "estado crítico", segundo o Granma, jornal oficial do Partido Comunista de Cuba.
A embaixada brasileira em Cuba informou à BBC Brasil que ainda não tem informações sobre se há brasileiros entre as vítimas.
Já Ministério das Relações Exteriores da Argentina informou que entre os mortos há dois cidadãos do país, que foram identificados como Dora Beatriz Cifuentes e Oscar Hugo Almaras - um casal que estava de férias no país.
O presidente da Corporação da Aeronáutica Civil de Cuba, Roberto Saldaña, disse que não se sabe as causas do acidente até o momento.
"Houve um infeliz acidente de aviação. As notícias não são boas, parece haver um grande número de vítimas", disse o presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, que tomou posse no mês passado e encaminhou-se para aeroporto após o acidente.

Avião arrendado

A aeronave havia sido arrendada, com uma tripulação mexicana, pela empresa aérea estatal Cubana de Aviación da companhia mexicana Damojh, informou o diretor de Transporte Aéreo do país.
Destroços do avião em CubaDireito de imagemAFP
Image captionCausas do acidente ainda são desconhecidas
O escritório da Damojh no México confirmou à BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC News, que trata-se de um voo de sua companhia, sem dar mais detalhes.
De acordo com informações da empresa, ela tem 24 anos de experiência em transporte aéreo executivo e comercial e opera voos charter nacionais e internacionais no México, Caribe, América Central e América do Sul.

Grande mobilização

A Radio Habana Cuba informou que o avião caiu sobre uma estrada em Boyeros, município a 30km da capital onde fica o aeroporto.
De acordo com testemunhas, o acidente ocorreu em uma área rural próxima ao Terminal 1, que opera voos nacionais.
AmbulânciasDireito de imagemAFP
Image captionEquipes de emergência estão no local
Imagens mostraram uma grande coluna de fumaça se elevando do local do acidente. Equipes de bombeiros se encaminharam ao local para conter as chamas, além de ambulâncias.
Uma moradora do local contou à BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC News, que houve uma grande mobilização após o ocorrido.
"Primeiro, ouviu-se um estrondo forte e logo começou a se ver fumaça, com carros de bombeiros e ambulânicas passando. As ruas aqui estão fechadas e ainda se vê uma coluna de fumaça", relatou Odalys González, que vive nas proximidades do aeropuerto.
Yordanis González, que esteve no local próximo ao desastre, diz que o "o avião se desfez em pedacinhos, com a asa de um lado e a outra para o outro".
"Nós que moramos aqui tentamos ajudar. Ainda estão fazendo buscas para ver se há sobreviventes."

A empresa aérea da revolução

A Cubana de Aviación foi criada em 1929 e, nas duas primeiras décadas, contou com alguns dos aviões mais modernos do mundo. Foi a primeira empresa latinoamericana do setor a usar aviões turboélice para cruzar o Atlântico.
Desde 1959, após a chegada de Fidel Castro ao poder, passou a ser operada pelo governo de Cuba. Atualmente, sua frota obsoleta é motivo frequente de comentários entre a população cubana, já que grande parte dela foi adquirida durante a era soviética.
Nos últimos anos, foi noticiado que a companhia decidiu alugar aviões de outras companhias para realizar o transporte turístico de estrangeiros, que pagam em moeda conversível, dentro da ilha, enquanto teve de suspender muitos de seus voos domésticos para cubanos, que pagam em moeda nacional, por falta de aviões.
Deslocar-se de avião entre Havana e o lado leste da ilha costuma ser algo extremamente complicado para os cubanos, diante da falta de voos. Muitas pessoas entram em uma lista de espera, e pode demorar seis meses ou mais para chegar a vez de conseguir uma passagem.

Notícias relacionadas

NOTA DE FALECIMENTO - É COM PESAR QUE COMUNICO FALECIMENTO DE ¨DONA SALETE¨ MINHA EX ALUNA NA ACADEMIA BOA FORMA-MACAU, DEUS CONFORTE SUA FAMÍLIA.





TRADICIONAL FESTA DAS FLORES - DIOGO LOPES 26 E 27-0-18